Notícias

Esse canal é atualizado de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas. Nele você encontra notícias sobre a empresa e os boletins enviados para a imprensa.

Para informações de tráfego, consulte o Twitter e o mapa interativo do site.

Assessoria de imprensa: (41) 3381-6577 ou pelo imprensa@ecovia.com.br.

200 mil veículos devem circular entre Curitiba e o Litoral neste Carnaval

Publicado em 26 de fev de 2019 às 13:00

200 mil veículos devem circular entre Curitiba e o Litoral neste Carnaval

Durante o feriado, Ecovia promove campanha de conscientização sobre os riscos da direção sob efeito alcoólico

A concessionária Ecovia, empresa do grupo Ecorodovias, que administra o trecho Curitiba-Litoral da BR-277, além das PRs 407 e 508, realiza a partir da próxima sexta-feira (01) uma campanha de conscientização sobre os riscos de beber e dirigir. Além de painéis e outdoors instalados ao longo da rodovia, a concessionária vai distribuir 20 mil folhetos educativos aos motoristas que passarem pelas cabines da praça de pedágio nos dias de Carnaval.

“Álcool no tanque é combustível. Na direção, é veneno” e “Com álcool e direção, a vida fica em ponto morto” são as duas principais mensagens da campanha. Os textos foram propositalmente desfocados para simular a visão de um motorista alcoolizado. No folder, as mensagens são complementadas com informações sobre o efeito do álcool no comportamento humano, especialmente no trânsito.

Segundo Marcelo Belão, gerente de Atendimento ao Usuário da Ecovia, o tema da campanha foi escolhido especialmente em razão do Carnaval, quando o consumo de álcool aumenta. “Tratamos de álcool e direção o ano inteiro, mas sabemos que no Carnaval essa mensagem precisa ser reforçada. Mesmo para quem busca diversão e descanso, é preciso ter consciência. Quem bebe tem opções melhores, mais sensatas e dentro da lei para pegar a estrada”, afirma.

De acordo com dados oficiais divulgados pela Polícia Rodoviária Federal, no Carnaval do ano passado, 1610 pessoas foram autuadas por embriaguez ao volante. No período, foram realizadas 172 detenções por conta da mistura entre álcool e direção em todo o Brasil.

Uma década atrás, o Código de Trânsito Brasileiro modificava as punições aos motoristas flagrados dirigindo sob efeito do álcool. Em 2018, a pena foi endurecida. Além da infração gravíssima, o valor da multa subiu para R$ 2.934,70. Há a previsão de detenção de 6 meses a 3 anos – regra inalterada desde o começo da Lei Seca, em 2008. E, se o condutor alcoolizado causar algum tipo de acidente, a penalização é ainda mais dura: até 5 anos de prisão se alguma vítima ficar em estado grave, com a possibilidade do aumento para 8 anos de punição em caso de mortes. Não há qualquer tolerância para níveis de concentração de álcool no sangue.

Movimento de ida

Entre sexta-feira (1) e a quarta-feira de cinzas (6), a Ecovia prevê a circulação de quase 200 mil veículos em ambos os sentidos do trecho de concessão. De acordo com a concessionária, já na sexta, mais de 30 mil veículos são esperados na descida da Serra do Mar. A manhã já começa com movimento alto a partir das 9h, e o maior fluxo está previsto para as 19h, quando 2,5 mil veículos devem passar pela Praça de Pedágio em direção às praias e municípios litorâneos.

Quem optar por descer a Serra no sábado (2) pode aguardar bastante movimento durante todo o dia. Pela manhã, entre 6h e 7h, a Ecovia espera 1,7 mil veículos indo para as praias, o triplo na comparação com um dia normal. Até a última hora, 34 mil condutores devem seguir viagem, com o movimento normalizando após as 22h na descida.

Retorno

A volta do feriado de Carnaval será concentrada principalmente na terça e na quarta-feira de cinzas. No dia 5, terça, está prevista a circulação de 30 mil veículos retornando para a capital paranaense. O tráfego chega aos 1,5 mil por hora a partir das 10h e seguirá bastante movimentado durante todo o dia, chegando à marca de 2,2 mil veículos por hora entre 17h e 18h.

Para o dia seguinte, na quarta-feira de cinzas, a Ecovia também espera 30 mil veículos subindo a Serra do Mar. O pico é previsto para acontecer entre 16h e 17h, com 2,3 mil condutores passando pela Praça de Pedágio, em São José dos Pinhais, com destino a Curitiba. Ainda segundo a concessionária, o movimento deve diminuir a partir das 22h.

Nos dias referentes ao Carnaval, a concessionária irá disponibilizar, durante o dia, 10 viaturas para a inspeção de tráfego, enquanto à noite serão 8 veículos disponíveis para a realização do serviço. Além dos guinchos já à disposição da Ecovia, serão contratados 15 guinchos leves para a atuação entre sexta-feira e a quarta-feira de Cinzas. Da mesma forma, a empresa contratou três ambulâncias extras para o feriado.

Durante a viagem, a Ecovia recomenda que os motoristas tenham anotado o telefone 0800 410 277 para qualquer incidente e pedido de socorro ou ajuda. No site www.ecovia.com.br, os usuários encontram informações complementares. Além disso, há o aplicativo Ecorodovias com informações úteis. A conta de Twitter @ecovia é atualizada regulamente e pode ser usada como fonte de informação sobre as condições de tráfego na rodovia.

Sobre a Ecovia – A Ecovia é uma empresa do Grupo Ecorodovias. No Paraná é responsável pela operação e manutenção da BR-277 – rodovia de grande importância comercial e turística na Região Sul, por ligar Curitiba ao Porto de Paranaguá, numa extensão de 84 quilômetros em pista dupla, além dos segmentos rodoviários PR-508 (Alexandra-Matinhos), e PR-407 (Pontal do Paraná). A empresa também presta manutenção nas rodovias de oferta que ligam a BR-277 às cidades de Morretes e Antonina. A Ecovia oferece ainda os Serviços de Atendimento ao Usuário (SAU) nos km 35 e 11 (sentido Paranaguá) e km 61,2 (sentido Curitiba) onde há banheiro, fraldário, café, água e telefone público.

Sobre o Grupo Ecorodovias – Ecorodovias é um dos maiores grupos de infraestrutura e logística intermodal do Brasil. Conta com nove concessões rodoviárias nas regiões Sul e Sudeste, somando mais de 1.900 quilômetros de rodovias por onde passam 120 milhões de veículos por ano, representando 52,8% do fluxo de passageiros e turistas, e 48% de toda a carga nacional movimentada no país.